sexta-feira, 19 de abril de 2013

EU CONTINUAREI A LUTA!!


(Foto: Reuters)


Por Regis Thiago
Discutir política é algo maravilhoso quando se tem base teórica para isso. Falar apenas por falar, imaginar que pensa em coletivo por se achar o rei da democracia e dizer besteiras, isso é algo grave e lamentável. Vejamos:

Constituição Federal de 1988

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

Interessante não é? Concordo que as pessoas devam expor suas opiniões, mas ontem em certo curso de Democracia tive que ouvir isso: - A imprensa é culpada de todo o mau que acontece no mundo, e o que esses jornalistas estão fazendo além de nos enganar?
Bom; vamos lá, meu caro, cada um defenderá seu discurso e eu como jornalista tenho que defender minha classe. Primeira coisa, você é jornalista? Quem é você para fazer uma crítica sem base? Como você contribui para o crescimento da sociedade em que vive?
Se você não me conhece vou falar brevemente: pelo pouco conhecimento que eu tenho, a cada dia aprendo mais um pouco. Sou um pesquisador e defendo a importância da educação e mídia alternativa para o crescimento intelectual da política em uma sociedade.
Concordo em partes, a grande mídia segue seus interesses, afinal ela é uma empresa jurídica.
Acredito que não deve ser do seu conhecimento a importância dos jornalistas e da imprensa alternativa na sociedade; vamos pegar um período histórico de nosso país, a ditadura. Momento de grande repressão e tortura certo?
Então me explica como foi á luta da oposição a ditadura? Os jornalistas e militantes colocavam a cara para bater, lutavam pelo que acreditavam e se importavam com a educação política do Brasil. Eram feitos jornais alternativos, boletins, a famosa imprensa nanica; e aí as informações chegavam á classe trabalhadora?? Sim, esse era o seu papel, uma educação combativa ao governo ditatorial.
Essa foi uma analise básica, então voltamos ao presente. A grande mídia é um manipulador de informações, famílias são donas desses veículos. Certo, concordo, então porque não utilizarmos a mídia alternativa da atualidade? Simples, a internet.
Hoje temos as mídias sociais: o Blog, Facebook, Yutobe, twiter, entre outros. Ferramentas alternativas que não devem fazer parte da sua rotina, ou se fazem, devem ser usadas erroneamente, mais um ser no senso comum. Mas dou uma dica, pesquise no Google, fique mais informado e principalmente politizado. Política como foi dita por você, é realizada com amor e garra, talvez tivesse defendendo certo vereador no qual você trabalha, né? Eu já penso diferente : reflito assim; - o nosso representante pode até estar bem intecionado, mas, política é do mal, é a busca do homem pelo poder. Política não é para leigos, precisa ser mais estudada, debatida e compreendida.
Se um menino hoje usa um fuzil nas favelas, é preocupante, a violência aumentou certo? Aí podemos pensar: Ah ele quer comprar drogas ou coisas do tipo? Ele não quer trabalhar? Ele não teve oportunidade? Várias questões podem ser levantadas.
Na minha visão ele não esta armado para fazer a revolução pela luta armada, ele apenas quer ser inserido e aceito em uma sociedade consumista. Adquirindo bens materiais.
Sem solução?? Jamais, as coisas rotineiras e preocupantes da vida podem ser resolvidas, dependem apenas das pessoas, de terem esperanças,sonhos a agir para suas realizações, afinal nada cai do céu a não ser a chuva.
Não sou a favor da violência, a luta armada teve um grande papel social, mas hoje minha arma são apenas palavras e atiro-as através da internet.
Mas fico preocupado, não sou o dono da razão, mas assim como jornalistas do passado, eu me preocupo com a educação da sociedade em que eu vivo. Preocupa-me observar pessoas cheias das razões e ao mesmo tempo não sabem nada. Eu tenho muito para aprender, tenho muitos sonhos, acredito em uma sociedade justa, mas não posso desistir; a luta é árdua. Falar, olhar e não lutar para uma melhoria na educação, para entendermos nossos direitos civis, é o mesmo que viver apenas por viver, meio que deixa a vida me levar.
Antes de falar, comece a refletir, comece a criticar, comece a pensar, comece agir e arque com as conseqüências de lutar pelo que acredita.














2 comentários:

  1. Aprendi desde cedo a questionar rssr acho q faz parte dessa genetica...mt bom seu texto!!!

    ResponderExcluir
  2. Certamente questões e críticas nada construtivas vamos ouvir a vida inteira, mas como você mostrou em seu discurso...é optativo aceitar certas críticas e calar-se com elas... Conhecer o que se critica é fundamental não apenas em visão política, mas e sim, a visão de si mesmo dentro do Sistema. Fazer da mídia uma ferramenta de mudança social, fazer em espaço alternativo...não desistir!!!! Discurso fundado e com inteligência política, ética e emocional!!! Parabéns Regis

    Cíntia Nunes

    ResponderExcluir