domingo, 29 de novembro de 2009

A TEMPESTADE PASSOU E O PSS CONTINUA SUA LUTA

Por Régis Thiago/Américo Santos
O blog PSS foi fundado no ano de 2007 como uma ferramenta de interação social dos estudantes do curso de comunicação e outros interessados no assunto. Para muitos o PSS morreria como o seu logo - um barco encalhado, mas não é bem assim. Sabe-se que alguns membros do blog acabaram se distanciando por interesses amorosos, outros por projetos futuros e alguns por serem pessimistas: - Há, vai dar certo? Hoje chegamos a conclusão que o blog não estava abandonado e sim que os integrantes buscavam suas aspirações com entusiasmo e coragem em tomar a dianteira de um meio de comunicação livre, sem distinções e ao mesmo tempo político, pois, tudo envolve uma política ou uma ideologia determinante para nossas vidas. Então é com imenso orgulho e satisfação que continuamos remando contra a maré, dando continuidade as nossas atividades intelectuais. UNI-VOS!
Começamos a relembrar o passado e ver porque fazemos escolhas em nossas vidas. Nessas escolhas somos obrigados a definir uma trajetória, que nos dá algumas opções. Supondo que estas são permeadas de perdas ou ganhos, definimos nosso rumo com o coração ou a razão, até chegar ao menos próximo ao alvo: o objetivo almejado. E os caminhos sinuosos, armadilhas de percurso podem acabar nos assustando, fazendo muitos desanimar ou mudar drasticamente, mas o determinante de nossas vidas, além da forma que encaramos as situações, é a capacidade de aceitar as mudanças e adaptar o plano de jogo às opções que foram concedidas. Poderíamos terminar com uma pergunta retórica, do tipo: “o que fazer com as mudanças?”, mas podemos ir muito mais além de uma simples pergunta. Podemos voar alto e alcançar objetivos. Foi o que aconteceu com o nosso amigo e um dos fundadores do PSS Régis Thiago. Um apaixonado por jornais ou melhor pela mídia impressa, que defende a teoria de Paul Lazarsfeld onde parte a afirmação de que os meios se complementam e que nenhum substitui o outro.
Com esse grande amor devotado aos tablóides, Régis aliou sua perspicácia com política e buscou os meios de comunicação na impressa alternativa. Vendo que estes eram segmentados por partidos políticos e movimentos sindicais, o pesquisador direcionou sua linha de raciocínio aos jornais de linha sindical (operária) e partidária. O contexto histórico não poderia ter sido melhor para o tema: a ditadura militar, que assolou o país de 1964 a 1979, dando abertura política a partir de 1981. Um longo processo começava a partir daí.
E, com diversos desvios de rumo, noites cansativas de muitas atividades, privação de sono, redução de atividades sociais, o pesquisador devotou esforços ímpares para manter seu projeto em curso. Por diversas vezes, o risco da desistência foi iminente, mas Régis não se deixou abater por nenhum deles. Agora, já pode colher diversos frutos do projeto que iniciara há bastante tempo, alcançando o sucesso cada vez mais próximo de sua realidade. Ele já participou do IV Colóquio de Pesquisas Institucionais e VI Encontro de Iniciação Científica no ano de 2009.
Segue abaixo um pouco do trabalho elaborado pelo nosso amigo pesquisador Regis Thiago:


A IMPORTÂNCIA DOS JORNAIS OPERÁRIOS NA CONSTRUÇÃO DA HISTÓRIA SOCIAL DA IMPRENSA ALTERNATIVA BRASILEIRA – UM ESTUDO DE CASO DOS MATERIAIS IMPRESSOS UTILIZADOS PELO MOVIMENTO DE OPOSIÇÃO SINDICAL METALÚRGICA DE SÃO PAULO: DO PERÍODO DE REPRESSÃO Á ABERTURA POLÍTICA (1976-1981
Esta pesquisa, em sua fase inicial de fundamentação teórica e metodológica, tem por objetivo resgatar e analisar alguns aspectos da história social da imprensa brasileira, investigar sua importância na comunicação por intermédio dos jornais alternativos e a utilização no período de repressão pelos movimentos de oposição; como ferramenta de liberdade de expressão, mostrando a realidade de 1976 a 1981. Das várias correntes de resistência ao Estado da época, analisaremos em especial o Movimento Oposição Sindical Metalúrgica de São Paulo (MOSMSP), pois, vivíamos sob ditadura militar que, com autoritarismo impunha leis e regras. A sociedade não tinha voz, tudo ou quem fosse considerado contra o governo era qualificado como comunista ou inimigo interno, podendo até ser perseguido mesmo assassinado por essa conduta.Com censura na grande imprensa, as notícias eram rigorosamente fiscalizadas e só eram publicadas as informações favoráveis ao governo. O espaço determinado para nossa pesquisa, entre 1976 a 1981foi escolhido em função do período de circulação do jornal alternativo Luta Sindical.
Lançado em 30 de janeiro de 1976, circulou bimestralmente até meados de 1980 e, após esse ano, tornou-se edição mensal. Serão analisados fragmentos de dois governantes da época, o Geisel e o de Figueiredo. Os mecanismos utilizados para as análises serão os jornais alternativos do movimento, por meio de artigos, editoriais e gravuras, além da história oral e de outros meios de comunicação usados pelo MOSMSP. A preocupação da pesquisa é valorizar a história e a cultura do país sem distorcer as verdades ali enterradas por nossos governantes. Também temos como objetivo mostrar aos pesquisadores, professores, estudantes ou a quem esteja interessado nessa temática, os acontecimentos desse período, representados pela voz dos trabalhadores.
Palavras-chave: História.Jornais Alternativos.MOSMP.Repressão

Um comentário:

  1. Que legal, fala que o PSS continua mas não põe o endereço do blog. Que coisa!!!

    ResponderExcluir