quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Prêmio Nobel de Literatura 2017: Conheça o vencedor deste ano e veja algumas curiosidades

quarta-feira, outubro 18, 2017
Foto: Reprodução/Facebook
Galera é claro que eu não iria deixar de falar sobre o vencedor do Prêmio Nobel deste ano. Eu aproveitei e reuni algumas curiosidades bem interessantes sobre como surgiu a Premiação, quantos ganharam, quem se recusou e por aí vai.

Para o Prêmio Nobel de Literatura de 2017, Academia Sueca recebeu e aprovou 240 propostas, resultando em 195 candidatos. No entanto, Kazuo Ishiguro, beirando seus 63 anos foi o escolhido pela Academia Sueca para receber a láurea.

A obra de Ishiguro está presente em vários países e já foi traduzida para diversos idiomas. No Brasil seus livros podem ser encontrados pela Companhia das Letras, sendo eles - Quando éramos órfãos (2000), Noturnos (2010), O gigante enterrado (2015), Os vestígios do dia (2016) e Não me abandone jamais (2016).

Ishiguro também já fez roteiros para dois filmes, A Música Mais Triste do Mundo(2003) e A Condessa Branca (2005).

Kazuo Ishiguro nasceu em 8 de novembro de 1954 em Nagasaki, Japão. A família mudou-se para o Reino Unido quando tinha cinco anos; ele voltou a visitar seu país de nascimento apenas como adulto. No final da década de 1970, Ishiguro se formou em Inglês e Filosofia na Universidade de Kent, e depois passou a estudar Escrita Criativa na Universidade de East Anglia.

Kazuo Ishiguro foi um autor em tempo integral desde o seu primeiro livro, A Pale View of Hills (1982). Tanto seu primeiro romance como o subsequente, um Artista do Mundo Flutuante (1986) ocorrem em Nagasaki poucos anos depois da Segunda Guerra Mundial. 

Os temas com os quais Ishiguro está mais associado já estão presentes: memória, tempo e auto ilusão. Isto é particularmente notável em sua novela de renome, The Remains of the Day(1989), que foi transformada em filme com Anthony Hopkins atuando como mordomo obcecado pelo dever, Stevens.

Os escritos de Ishiguro são marcados por um modo de expressão cuidadosamente restrito, independentemente de qualquer evento que ocorra. Ao mesmo tempo, sua ficção mais recente contém características fantásticas. Com o trabalho distópico Never Let Me Go (2005), Ishiguro introduziu uma resfriada corrente de ficção científica em seu trabalho. Nesta novela, como em vários outros, também encontramos influências musicais. 

Um exemplo impressionante é a coleção de histórias curtas intituladas Nocturnes: Five Stories of Music e Nightfall (2009), onde a música desempenha um papel fundamental na representação dos relacionamentos dos personagens. Em seu último romance, The Buried Giant(2015), um casal de idosos faz uma viagem por uma paisagem arcaica em inglês, esperando reunir-se com seu filho adulto, que eles não viram há anos. Esta novela explora, de forma emocionante, como a memória se relaciona com o esquecimento, a história com o presente e a fantasia com a realidade.

Como Surgiu o Prêmio Nobel de Literatura


Em 27 de novembro de 1895, Alfred Nobel assinou sua última vontade e testamento, dando a maior parte de sua fortuna a uma série de prêmios, os Prêmios Nobel. Conforme descrito na vontade do Nobel, uma parte foi dedicada a "a pessoa que deve ter produzido no campo da literatura o trabalho mais destacado em uma direção ideal". Saiba mais sobre o Prêmio Nobel de Literatura de 1901 a 2017.


Número de Prêmios Nobel de Literatura


110 Prêmios Nobel de Literatura foram concedidos desde 1901. Não foi premiado em sete ocasiões: em 1914, 1918, 1935, 1940, 1941, 1942 e 1943.
Por que os Prêmios de Literatura não foram premiados nesses anos? Nos estatutos da Fundação Nobel, diz: "Se nenhuma das obras consideradas for da importância indicada no primeiro parágrafo, o dinheiro do prêmio será reservado até o ano seguinte. Se, mesmo assim, o prêmio não pode ser concedido, o montante deve ser adicionado aos fundos restritos da Fundação". Durante a Primeira Guerra Mundial e II, foram concedidos menos Prêmios Nobel.

Prêmios Nobel de Literatura Compartilhados


O Prêmio Nobel de Literatura foi compartilhado entre dois indivíduos apenas em quatro ocasiões. Compartilhar o Prêmio Nobel é um fenômeno mais comum nas outras categorias do Prêmio Nobel. 

1904 - Frédéric Mistral, José Echegaray
1917 - Karl Gjellerup, Henrik Pontoppidan
1966 - Shmuel Agnon, Nelly Sachs
1974 - Eyvind Johnson, Harry Martinson


Aniversários do Prêmio Nobel

Junho é o mês em que a maioria dos Laureados Nobel comemora um aniversário.

Vencedor mais jovem


Até o momento, o mais novo vencedor da literatura é Rudyard Kipling, mais conhecido por The Jungle Book , que tinha 41 anos quando recebeu o Prêmio de Literatura em 1907.

Leitor de literatura mais antiga


O Prêmio Nobel de Literatura mais antigo até à data é Doris Lessing , que tinha 88 anos quando recebeu o Prêmio em 2007. 

Prêmios Nobel Femininos em Literatura 

14 mulheres receberam o Prêmio Nobel de Literatura. A autora sueca Selma Lagerlöf (1858-1940) foi à primeira mulher a ser concedida em 1909. Selma Lagerlöf foi premiada cinco anos antes de ser eleita para a Academia sueca, premiada pelo Prêmio Nobel, responsável pela seleção de Prêmios Nobel de Literatura. 

1909 - Selma Lagerlöf
1926 - Grazia Deledda
1928 - Sigrid Undset
1938 - Pearl Buck
1945 - Gabriela Mistral
1966 - Nelly Sachs
1991 - Nadine Gordimer
1993 - Toni Morrison
1996 -Wislawa Szymborska
2004 - Elfriede Jelinek
2007 - Doris Lessing
2009 - Herta Müller
2013 - Alice Munro
2015 - Svetlana Alexievich 


Duas pessoas recusaram o Prêmio Nobel de Literatura


Boris Pasternak, o Prêmio Nobel de Literatura de 1958, "Aceito primeiro, mais tarde Boris foi motivado pelas autoridades de seu país (União Soviética) para recusar o Prêmio". 
Jean Paul Sartre, o Prêmio Nobel de Literatura de 1964, recusou o prêmio porque ele constantemente desvalorizou todas as honras oficiais.


Vencedor do Prêmio Nobel em Literatura mais de uma vez


Ninguém recebeu o Prêmio Nobel de Literatura mais de uma vez.


Espero que tenham gostado do post, caso queriam conhecer todos os ganhadores do prêmio é só clicar - Todos os Premiados! Até o próximo. 

domingo, 15 de outubro de 2017

Professores: Aos mestres com carinho

domingo, outubro 15, 2017

Hoje farei um post um pouco diferente. Na verdade é uma homenagem a todos os professores. Sabe aqueles que ficam com seus filhos, levando ensinamentos e de quebra tem paciência com a falta de educação de muitos alunos? Esses são os professores; profissão que se trabalha muito e ganha pouco. Já tive do lado de lá também, kkkk....

Na verdade tive vários que não recordarei, mas cada um teve seu papel. Professores como a Zordaide, Bueno e o Pessoto foram incríveis. Sem contar o professor Renato que me fez entender que química e física podem ser engraças mesmo sendo matérias chatas (na minha opinião) e consigo ver isso só agora. No entanto, duas (Lucia e Estela) eu ainda tenho contato até os dias atuais. E não poderia ficar sem deixar algumas palavras, essas mesmas, aquelas palavras que no meu passado era apenas um sonho.

Agradeço a cada minuto o incentivo que me deram desde o tempo da escola. Agradeço pelas broncas, pelas correções e por terem aguentado minhas chatices e críticas de aborrecente.
Saiba vocês professores, importantes na minha formação e de outros, és nosso amigo e muitas vezes nossos inimigos. Tudo depende da idade kkkk. Lúcia e Estela agradeço pelos ensinamentos, não apenas aqueles passado através dos livros e do giz. Mas um que foi além.

Primeiro, a Lúcia é Corintiana Roxa e a Estela Palmeirense. Aprendi ali que a rivalidade é saudável desde que haja respeito. Segundo, me fizeram acreditar no meu sonho. Graças a vocês, hoje sou jornalista. Tornei-me o que eu sempre sonhei e vocês tiveram um papel essencial. Nunca me deixaram desistir. E terceiro, quando eu escrevi uma redação e vários alunos leram, descobriram que naquela época eu tinha epilepsia. Zoaram bastante comigo, hoje, seria bullyng. E vocês sempre me falaram que era passageiro e eu não poderia me sentir diferente.  Fato verdadeiro; não tenho mais crises, isso realmente foi passageiro.

Enquanto todos me julgavam, riam e diziam; “você nunca será jornalista”, vocês estavam ali para me fortalecer e dizer ao contrário.
Não tenho muitas palavras para agradecer o fato de ter conquistado meu sonho e de ser o homem que sou hoje.  Nesse pequeno texto tentei lembrar momentos marcantes na minha história, e assim homenagear o dia de vocês. Feliz dia dos professores.  

Esse são os relatos delas sobre o que é ser professor....

Estela De Paula Z – Minha Professora de Matemática


Ser professor é uma vocação, uma missão, é carregar dentro de si uma paixão pela profissão, e esta paixão se estende a cada um de seus alunos... É sentir-se orgulhoso e realizado a cada conquista de seus pupilos...  É uma troca contínua, compartilhar conhecimentos e renovar suas aprendizagens constantemente ...  É criar vínculos indestrutíveis com seus alunos, rezar todos dias para que o futuro de todos seja de sucesso e muita alegria. É levar em suas lembranças e no coração cada rosto e pensar em todos eles com muita saudade e carinho sempre!!


Lúcia Piccolo – Minha Professora de Português


Ser professor é uma questão de escolha, mesmo sabendo que o caminho é árduo. Ser professor é ter consciência do tamanho da responsabilidade que terá. Ser professor é se deixar levar pelo amor, pela dedicação; é buscar forças para estimular a aprendizagem, quando estamos diante dos problemas da sociedade. Ser professor é aprender no dia a dia ensinando. Para ser professor, não basta apenas, frequentar uma universidade e se dizer professor. Ser professor é algo muito mais profundo. Ser professor é antes de mais nada, ter paixão pela profissão.


Depois dos relatos de vocês, hoje tenho a certeza que aprendi com vocês a amar nossa profissão antes de tudo. E mais uma vez; “Obrigado por me ensinarem a acreditar em mim”. 

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Projeto Vida Literária distribui livros gratuitamente e conscientiza jovens sobre a importância da leitura em São Paulo

quarta-feira, outubro 11, 2017
Foto: JulienPereira/Vida Literária
O Projeto Vida Literária realmente vem transformando vidas. Nossa, eu não tenho palavras para descrever o que sinto. Como eu fico feliz em saber que ainda existam pessoas boas nesse mundo, remando contra a maré de marasmos e buscando fazer o diferente em prol da cultura, do conhecimento em benefício dos outros.

Conheci esse trabalho através do LinkedIn e entrei em contato com um dos seus idealizadores. A iniciativa é voluntária e é coordenada pelos jornalistas e escritores Anderson Fernandes e Débora Kaoru contendo palestras sobre a importância da leitura e a distribuição gratuita de livros.

O projeto já passou por unidades de ensino das cidades de Mogi das Cruzes, Suzano, Itaquaquecetuba e Poá e já contemplou aproximadamente 2.200 estudantes com 2.750 livros. “Acreditamos que estamos alcançando nosso objetivo, que é facilitar o acesso ao livro e à leitura. Nossa estrutura ainda é limitada, mas o projeto é feito com muita responsabilidade e isso contagia outras pessoas, por isso tem dado certo”, comentou Fernandes.


No mês que é celebrado nacionalmente o Dia das Crianças e o Dia da Leitura, também será comemorada a criação do projeto, que completa um ano. No sábado (7), uma grande ação já está programada com o objetivo de “festejar”.
Serão realizados trabalhos em Suzano e Poá com distribuição gratuita de aproximadamente 400 exemplares entre livros e gibis.

História

No início de 2016, os jornalistas Anderson Fernandes e Débora Kaoru escreveram e lançaram o livro infanto-juvenil Nocaute, com o objetivo de distribuí-lo gratuitamente em dez escolas públicas. Porém, em contato com empresários e editoras, viram como seria difícil levar a iniciativa adiante, já que de 50 pessoas que conversaram, nenhuma aceitou financiar o projeto.

Posteriormente, em outra tentativa de avançar com a iniciativa, lançaram uma campanha de crowdfunding, mas também não tiveram sucesso com a mesma. Então para não deixar a ideia morrer, começaram a pedir obras literárias de diferentes autores para amigos jornalistas e escritores, para tentar contemplar pelo menos uma escola com a doação de livros.

No entanto, em conversa com um professor da Rede Estadual de Ensino, eles identificaram que em algumas escolas poucos eram os alunos que tinham acesso à sala de leitura e muitos livros eram até jogados no lixo com frequência.

A partir desta informação chegaram a conclusão que deveriam formatar um projeto em que as obras literárias arrecadadas chegassem realmente às mãos dos estudantes e o principal, eles deveriam entender a importância da leitura para formação cultural e educacional, para assim não se desfazerem dos livros.
 
Foto: JulienPereira/Vida Literária
Começaram o projeto em outubro de 2016, com estudantes da EJA (Educação de Jovens e Adultos). Depois, passaram a receber muitos pedidos de professores de escolas com Ensino Médio. Em cada unidade de ensino, além da distribuição de livros, é ministrada uma palestra sobre a importância da leitura e do livro.

Desde o início do Vida Literária, o projeto já recebeu muitas doações. A maioria são pessoas que querem liberar espaço em casa, então nem sempre as obras chegam em boa qualidade. No entanto, também chega muita coisa legal, espetacular. A equipe do projeto olha livro por livro, separam cada um. Os que servem para o projeto seguem para os estudantes. Os que não servem, são trocados em sebos.

Acreditamos que a leitura como direito de todos evita o aprofundamento de divisões sociais, educacionais, culturais. Desta maneira, realizando um trabalho de incentivo à leitura em escolas, oferecemos mais que um instrumento de dignificação do aluno, realizamos um grande ato de valorização e aperfeiçoamento do ser humano.

Resumo do Projeto

O projeto Vida Literária tem o objetivo de ampliar o acesso da comunidade à informação, à leitura e ao livro. A ideia é realizar palestras sobre literatura para jovens e distribuir, gratuitamente, livros e gibis de diferentes autores para estudantes de escolas públicas.

Objetivos

Melhorar a auto estima dos atendidos e por meio do projeto, oferecer a oportunidade de conhecerem o “gosto pela leitura”, sem contar a bagagem educacional e cultural que receberão durante a atividade. Os estudantes também poderão posteriormente se tornar referências e incentivadores que outros jovens passem a ter o hábito da leitura.


Coordenação

O projeto será coordenado pelos jornalistas Anderson Fernandes e Débora Kaoru.

ANDERSON FERNANDES

O jornalista Anderson Fernandes têm 32 anos. É graduado em Comunicação Social – Jornalismo e têm especialização em Comunicação Estratégica pela Universidade Braz Cubas (UBC). Anderson tem passagens pelos jornais Diário de Suzano, Diário do Alto Tietê, Folha Metropolitana de Guarulhos, nas funções de repórter e editor e também realizou trabalhos na ASBS, Top Clip, AV Agência de Comunicação, Prefeitura de Suzano e Prefeitura de Poá. 

É criador dos portais de notícia AT11 e Política na Hora e ganhador, em 2011, do prêmio Top Blog, categoria Jornalismo, com o Blog do Fernandes. É coautor do livro Entre Quatro Poderes e Nocaute.

DÉBORA KAORU

A jornalista Débora Kaoru tem 29 anos. É graduada em Comunicação Social – Jornalismo pela Universidade Braz Cubas (UBC). Trabalhou como repórter no jornal A Tribuna Suzanense, Rádio Metropolitana e também com Assessoria de Imprensa Política. É coautora do livro Entre Quatro Poderes e Nocaute.

Serviço

Mais informações sobre a iniciativa podem ser consultadas aqui: www.vidaliteraria.com.br e www.facebook.com.br/projetovidaliteraria.
Todos os livros utilizados no projeto foram enviados pelos voluntários do Vida Literária e por pessoas de diversas regiões de São Paulo, após uma campanha de arrecadação feita pela Internet. Para contribuir com a iniciativa é fácil!


Só enviar um e-mail para jornalistafernandes@gmail.com, que será combinado como o livro chegará ao projeto. Quem precisar de mais informações pode consultar os endereços: www.facebook.com.br/projetovidaliteraria e www.vidaliteraria.com.br.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Exposição “Da Serra ao Mar” é atração nas cidades de Taubaté e São José dos Campos

segunda-feira, outubro 09, 2017
Foto: Divulgação
Oi Galera; hoje estou muito feliz em escrever esse texto. Fiquei sabendo que uma das artistas plásticas que eu conheço, aqui de Caraguá, está com uma exposição na cidade que nasci na cidade de Taubaté. Suas obras estão expostas no Museu da Imigração Italiana de Quiririm, bairro onde eu geralmente passava as férias, na casa dos meus avós.  

São 18 peças em cerâmica, argila terracota, branca e negra, acabamentos em engobe e esmalte e forno a lenha.
Além dessa, a artista plástica, Cláudia Canova Passos, também está com exposição no Senac de São José dos Campos. No Senac são 26 peças de argila terracota e negra com acabamentos com engobe e esmalte, queima em forno a lenha e elétrico.

Claro que eu fui saber mais sobre esse trabalho, desenvolvido em aproximadamente um ano. Semióticamente falando, a mostra intitulada “Da Serra ao Mar” tem vários aspectos envolvidos.

Segundo a artista, é de grande importância esse trabalho para nosso ecossistema. “Essa exposição é importante, pois tento trazer o olhar das pessoas para esse mundo quase invisível, mas que tem grande importância no ecossistema. De uma forma lúdica que posso atingir também as crianças que serão os adultos de amanhã.”

Além do seu trabalho independente, a artista Cláudia Canova Passos faz parte do Grupo Ubuntu – um coletivo de artistas de Caraguatatuba.
Esse coletivo busca valorizar a contribuição que diversas raças deram à formação cultural e as tradições que são mantidas até hoje nas cidades do Litoral Norte de São Paulo através da arte.

Curiosidades sobre a artista

A especialidade de Cláudia são peças decorativas em formatos de joaninhas, besouros, borboletas, entre outros, que podem ser usadas como pesos de livros, enfeites de paredes ou jardins.
Formada em Artes Plásticas, na FAAP (Fundação Armando Alvares Penteado), com especialização em Desenho Técnico, no IADE, Cláudia Canova sempre gostou de estar próxima à natureza.

Serviço:
Exposição – Da Serra ao Mar
Local: Senac São José dos Campos – Rua Saigiro Nakamura, 400 – Vila Industrial
Data: Até 31/10
Horários: Segunda a Sexta – das 8h às 22h30 e sábado – das 8h às 18h

Exposição – Da Serra ao Mar
Local: Museu da Imigração Italiana de Quiririm- Taubaté - Avenida Líbero Indiani – 550
Data: Até 30/11
Horários: Segunda a Sexta – das 8h às 17h e sábado e domingo – das 11h às 16h



sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Filmes: Cinedebate é atração CULT em Caraguatatuba

sexta-feira, outubro 06, 2017

Hoje é sexta-feira, dia de dar aquela relaxada. Para quem curte cinema, aqui na minha cidade, recebi boas dicas do Professor Dr. Ricardo Roberto Plaza Teixeira. Começa hoje e vai até o dia 10 desse mês, os cinedebates que ocorrerão no auditório do Instituto Federal de São Paulo(IFSP, câmpus de Caraguatatuba.

Todos os cinedebates são gratuitos e abertos para qualquer cidadão interessado. Não precisa fazer inscrição prévia. Basta comparecer no horário do início da exibição(com um documento de identificação para apresentar na portaria do ifsp para poder entrar no prédio da instituição).
O que acho mais interessante é que os filmes são cult e após ele há uma discussão sobre a obra exibida.

Isso é importantíssimo para a propagação cultural, tendo pessoas mais críticas e pensantes. O Ricardo, idealizador do projeto está de parabéns.
Bora lá conferir..

06 de outubrosexta feira - filme "A Caça" - início da exibição: 16h30

Sinopse
Lucas (Mads Mikkelsen) trabalha em uma creche. Simpático e amigo de todos, ele tenta reconstruir a vida após um divórcio complicado, no qual perdeu a guarda do filho. Tudo corre bem até que, um dia, a pequena Klara (Annika Wedderkopp), de apenas cinco anos, diz à diretora da creche que Lucas lhe mostrou suas partes íntimas. 
Klara na verdade não tem noção do que está dizendo, apenas quer se vingar por se sentir rejeitada em uma paixão infantil que nutre por Lucas. A acusação logo faz com que ele seja afastado do trabalho e, mesmo sem que haja algum tipo de comprovação, seja perseguido pelos habitantes da cidade em que vive.


07 de outubrosábado - filme "Temple Grandin" - início da exibição: 09h00
  
Sinopse
Cinebiografia da jovem autista Temple Grandin (Claire Danes) que tinha sua maneira particular de ver o mundo, se distanciou dos humanos, mas chegou a conseguir, entre outras conquistas, defender seu doutorado. 
Com uma percepção de vida totalmente diferenciada, dedicou-se aos animais e revolucionou os métodos de manejo do gado com técnicas que surpreenderam experientes criadores e ajudaram a indústria da pecuária americana.

09 de outubrosegunda-feira - filme "Virunga" - início da exibição: 19h00

Sinopse
Na República Democrática do Congo fica o Parque Nacional de Virunga, espaço que abriga o restante dos gorilas da montanha existente no mundo. Uma pequena equipe de guardas florestais protege o parque contra milícias, das empresas interessadas em petróleo e de desastres naturais.


10 de outubroterça-feira - documentário: "AGente" - início da exibição: 19h00

Sinopse
O diretor Aly Muritiba trabalhou por sete anos em uma prisão como integrante da Equipe Alfa. Ele retorna, como cineasta, ao seu antigo local de trabalho para documentar a rotina dos 28 homens e mulheres, que integram a Equipe Alfa, responsável pela custódia de mais de mil criminosos de uma penitenciária brasileira. 


Serviço
Endereço: Av. Bahia , 1739 – Indaiá - Caraguatatuba




quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Emilly Amite lança sua obra na Bienal Internacional do Livro e bate um papo com o Blog TJM

quarta-feira, outubro 04, 2017

Eu nem preciso falar minha felicidade em saber como nossos escritores brasileiros andam crescendo. No Blog Tudo Junto e Misturado valorizo isso. Valorizo pessoas que acreditam e correm atrás dos seus sonhos e não medem esforços para conquistá-los. Hoje é dia de Entrevista aqui no blog, com a escritora *Emilly Amite, autora do livro, “Do outro lado do espelho”.

Para quem me acompanha sabe sobre minhas viagens semióticas e no livro de Emilly, identifiquei esse formato. Sabe aquela sacada de trazer situações da realidade, sendo contadas pela fantasia?
É nessa sacada que fiquei curioso em saber as motivações da escritora com relação ao seu livro, autografado na Bienal Internacional do Livro no Rio de Janeiro deste ano.
Bora lá conferir?

Tudo Junto e Misturado - Quando decidiu ser escritora? 

Emilly Amite - Acho que eu me dei conta de que realmente queria ser escritora quando terminei o livro 1 - Do outro lado do espelho e vi o quanto estava feliz por compartilhar um pedacinho de mim com o mundo.

TJM - O que motivou você a escrever sua história? 

E.A. - Hmmm, o que me motivou foi o isolamento. Eu morava num sítio bastante distante no interior do RS, então eu ficava muito sozinha. Passava horas pelas florestas de lá e comecei a imaginar a história que já tinha criado com 14 anos, mas estava adormecida, se formar com mais vida. Peguei os rascunhos que estavam esquecidos num caderno e retomei a escrita! Era uma fuga do mundo.

TJM - Como foi estar na Bienal esse ano? 

E.A. - A Bienal Internacional do livro do RJ foi incrível! Foi maravilhoso ver as pessoas em meio a tanto conhecimento e entretenimento. Deviam haver mais eventos como esse em intervalos menores e mais acessíveis também, acho que aumentaria o número de leitores.

TJM - O que falaria aos novos escritores? 

E.A. - Escrevam tudo o que vier a mente, cada ideia, cada detalhe, pois aquilo depois pode se tornar uma base pra sua história e nunca desista de tentar, pois ninguém vence sem dar o primeiro passo.

TJM - Percebi que seu livro traz situações reais, sendo descritas pela fantasia. Por que dessa sacada?

E.A. - Não acontece só no livro 1. Em toda a série coloco situações reais, medos reais, e pequenas verdades escondidas, pois para mim, literatura fantástica é um meio mais "colorido" de ensinar. Então, muitas pessoas descobrem na fantasia, que existe uma saída pra qualquer problema! Eu mesma já fui tirada do fundo do poço por livros de fantasia e acho que eles são a melhor maneira de mostrar que lutas reais podem ser vencidas.

E aí, o que achou? É escritor ou conhece algum que tem um trabalho bacana? Mande sugestões para nós no e-mail redacaotjm@hotmail.com
  
*Sobre a autora:

Nascida em 8 de julho de 1991 em Itaboraí, no Rio de Janeiro, apaixonou-se pela escrita quando se mudou para o Rio Grande do Sul, onde passava a maior parte do tempo escrevendo poemas e contos. Aos quatorze anos começou a escrever seu primeiro livro, que foi recriado e modificado mais de 17 vezes até chegar ao ponto que queria. Do outro lado do Espelho só saiu do papel em dezembro de 2012, quando finalmente criou coragem para escrevê-lo por completo. Logo descobriu que era isso que amava fazer, escrever e mostrar para as pessoas os mundos que criou para si.

Sinopse:

Leona tem apenas dezessete anos e o mundo inteiro a espera. No último ano do ensino médio, a garota nem imagina que sua vida está prestes a virar de cabeça para baixo. Um portal se abre e a envia para o mundo de Amantia. 

Tudo em que sempre acreditou desmorona bem diante dos seus olhos e vai ser preciso mais do que coragem para sobreviver a essa jornada e voltar para casa. Acompanhada de um elfo negro, vai tentar chegar a Torre das Nuvens, mas não sem antes enfrentar as mais assustadoras criaturas mitológicas.


Serviço

Autora: Emilly Amite
Edição: 1
Ano: 2017
Páginas: 252
Capa: Brochura - Supremo 250g Com duas orelhas
Assunto: Literatura Nacional - Fantasia 
Idioma: Português

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Exposição “Renato Russo” vai até janeiro de 2018 em São Paulo

segunda-feira, outubro 02, 2017
Na imagem: Renato Russo em apresentação da Legião na turnê do álbum Dois, 1986
Foto: Mila Petrillo/Acervo Renato Russo
Hoje vou falar da exposição que está rolando no Museu da Imagem e do Som - MIS SP do músico Renato Russo e a banda Legião Urbana. Quando eu soube da exposição, claro que fiquei muito feliz e achei o máximo.

Diversas gerações foram influenciadas por esse escritor, poeta, cantor, entre outros adjetivos. A exposição vai até dia 28 de janeiro de 2018, no MIS, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo.

Os fãs e admiradores terão a chance de conhecer essa história com a mostra Renato Russo. Pelo que pesquisei, a mostra traz objetos pessoais, peças de vestuário, fotografias, discos, livros, manuscritos, instrumentos musicais, documentos escolares, desenhos, cartas de fãs, além de prêmios, fanzines, folhetos e impressos variados que percorrem toda a trajetória do artista.

A exposição é a quarta idealizada e concebida totalmente pelo museu e tem curadoria de André Sturm, ex-diretor do MIS, e direção de arte do Ateliê Marko Brajovic. Giuliano Manfredini, único filho do artista, concedeu ao MIS total acesso ao apartamento de Renato Russo, confiando à equipe do museu sua catalogação, conservação e adaptação para a exposição.

Agora estou contando os dias para eu visitar essa exposição! Se alguém já foi, conta aí pra gente o que achou...


Pesquisa e conservação




Caravanas

Visitantes de outras cidades podem agendar sua ida à exposição Renato Russo. O museu conta com um canal para atender ao público de outras localidades que podem programar sua visita com antecedência e sem pegar filas. Os interessados devem entrar em contato pelo email caravanas@mis-sp.org.br e agendar um horário de quarta a domingo. As turmas são de até 45 pessoas e os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

SERVIÇO


RENATO RUSSO – MIS



De 6 de setembro de 2017 a 28 de janeiro de 2018

Das 10h às 21h (terça a sábado); e 9h às 19h (domingos e feriados) – a bilheteria abre 30 minutos antes da visitação.

Espaço Redondo, Espaço Expositivo 1º andar e Espaço Expositivo 2º andar
Ingressos: R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia), na bilheteria do MIS, a partir de 7 de setembro.
Às terças-feiras a entrada é gratuita.

Ingressos antecipados pelo site www.ingressorapido.com.br/renatorussonomis: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada), com horários marcados de hora em hora.

Local: Avenida Europa, 158, Jardim Europa - São Paulo.


quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Garçom: Valorize esse cara!!

quarta-feira, setembro 27, 2017
Galera, hoje eu falarei da importância das empresas terem profissionais capacitados. Eu antes de me formar como jornalista fui garçom, isso quando eu tinha meus 18 anos. Faz tempo hein? (hahaha). É um trabalho árduo que admiro muito. Enquanto um garçom me serve eu sempre fico atento. Na época fiz cursos de qualificação na área para trabalhar com isso. 

No evento que já falei aqui no Blog “Caraguá a Gosto” classificou os melhores garçons, perante a avaliação dos clientes e ganharam smartphones. Na Categoria – Pizzaria, o garçom Vitor da Pizzaria do Neno foi premiado. Na Categoria - Comida de Boteco, o garçom Daniel do Bar do Hélio ficou com o celular. E na última Categoria - À La Carte, o prêmio ficou com o garçom Sidinei – do restaurante Baleares.

Eu como almoço todos os dias no Bar do Hélio, um dos nossos parceiros do TJM, conversei com o garçom Daniel. Perguntei para ele qual o segredo e ele me disse, “o segredo é gostar do que a gente faz. Trabalho de garçom aproximadamente dez anos e sempre me preocupei em deixar o cliente satisfeito”.

Com relação ao prêmio recebido ele humildemente explicou que toda equipe mereceu, “eu fiquei bem feliz com o celular e parabenizo todos os garçons que participaram. Meus colegas de trabalho do Bar do Hélio também, afinal somos uma equipe”. E ainda acrescentou “quem estiver querendo ser garçom ou já é; faça sempre o seu melhor, goste da profissão e valorize seu cliente”.

Vejo que aqui em Caraguá a mão de obra precisa melhorar e muito com relação a isso. Mas também tenho que ser sincero, a galera está realizando cursos de qualificação em benefício do turismo na região.

Qualificar é necessário e o povo também precisa ir atrás, não importa qual seja sua área. Hoje o mercado está cada vez mais competitivo para quem tem uma boa carreira profissional, imagina para quem está iniciando?

Então, é só ter foco, força e fé que as coisas caminham juntas. E você, o que acha que precisa melhorar no turismo da sua cidade?